quinta-feira, outubro 20, 2005

Variáveis aparentemente não correlacionadas

Quando pela primeira vez subi ao palco no comando das operações, olhei em volta confirmando que tudo estava a postos: a audiência, o quadro de ardósia, o apagador e a colecção multicolor de nacos de giz – tudo muito apropriado para uma conversa em torno da geometria.

Impulsivamente rejeitei um naco de cor alaranjada que para lá estava no meio dos outros. Foi um acto não reflectido. Não o tinha planeado. Foi apenas um momentâneo impulso de repúdio.

Lembrei-me disso agora que, tal como nesse distante ano de 91, ligo a TV e vejo essa sombra a pairar de novo sobre as nossas cabeças.

Agora, como então, continuo sem saber que impressão provoca o toque de semelhante substância alaranjada.

18 comentários:

Pinto Ribeiro disse...

asko, Kamarada Blair. e dá-lhes keu tirei uns tempos de deskanso. só nos falta "aquilo", porra...1 abraço.


p.s. durante as "férias" tou no elogiodapalavra.blogspot.com. mas esse num dá trabalho. aqui é ke estou cheio de trabalho.

mfc disse...

O nosso subconsciente reage aos nossos ódios de estimação.

maria disse...

Diria o Freud que podia ter sido um acto-falhado! ;) eu julgo que é um acto de significado! :)

pois é...

mr what a long name this hardly worth typing disse...

ó blair pá, o cavaco tabu messias da silva quando hoje entrar no ar às 20h. pá, em 5 minutos de discurso pá, tira a tugolandia toda do atraso pá...vais ver...é tão certo como eu escrever mandarim fluentemente!!!...ou se é...

Dinada disse...

Eu sempre fui alérgica ao giz, uni ou multicolor!

Beijo ó Blair e à geometria que não é 'falÇa'!

Pinto Ribeiro disse...

Blair, os meus Kamaradas vão aguentar-me o cavaco. 1 abraço.

Elisa disse...

estou como a dinada. O giz causa-me uma alegia danada. Ainda bem que os quadros já são quase todos brancos e podemos usar marcadores ;-)

Pinto Ribeiro disse...

os pesadelos existem mesmo Kamarada. tou kuma insónia e kum tanta bilis ke lá boltei ao cavaco...foda-se. deskulpa lá, mas tinha ke desabafar...1 abraço.

Eric Blair disse...

Tal e qual, Mfc.
A posta não era sobre o giz...
Mas prefiro-o aos quadros plásticos e de marcador.
O giz é muito mais expressivo.
Para além de que temos ardósia, mas não petróleo aqui no reino.

seu_misha disse...

Uma sombra não é nada comparado com o tecto de nuvens negras que depois de 1991 pairou contantemente sobre nós...

Eric Blair disse...

foi só a transformação da tempestade em furacão, Seu_misha.
Uma "réplica", como diria um qualquer jornalista entendido nestas coisas das ciências da Terra.

Mendes Ferreira disse...

bjo. em piano. pianíssimo.

Charlito disse...

É curioso como ainda há quem acredite que por trás das nuvens ou do nevoeiro vai aparecer o D. Sebastião. Provavelmente montado num cavalo de pau... de giz laranja.
Já agora Eric, dessa colecção multicolor de nacos de giz de que falas, há algum que ainda risque alguma coisa? Se sim, alcança-me aí um!

mfc disse...

E?? E agora??!!

Pinto Ribeiro disse...

espero que pelo menos estejas vivo...1 abraço.

mfc disse...

As variáveis deram cabo de ti!

maria disse...

Variáveis aparentemente não correlacionadas... ou sim!! Levam-me a vir aqui meter o nariz com alguma regularidade e ando à espera de ler mais, à espera de novas, de notícia, de lembrete, de história curiosa, de imagem... de...
Eric Blair, onde te escondes????

Zé do Telhado disse...

levou um tiro na garganta