domingo, outubro 08, 2006

Faltou-te um bocadinho assim…

Sócrates afirma, e nisso há que reconhecer enorme evolução relativamente ao toneca gutierrez, que “o PS não é neutro relativamente à questão da despenalização da interrupção voluntária da gravidez”, e adianta mesmo “estarei na primeira linha da luta pelo Sim”.

Assim sendo, porque é que ele não resolve a coisa com a maioria absoluta de que dispõe?

Ah, pois, aquele argumento da questão da consciência pessoal de cada um. Pois, pois, bora lá então referendar a pena de morte.

17 comentários:

menir disse...

Sempre fui a favor de resolver a questão na AR... Olha lá ò Blair, shhhhiiiiiuuuuu! (Ainda lhes dás ideias tristes...)

pintoribeiro disse...

Yep, conta comigo. Bom dia e abraços K'mrd.

Cila disse...

a intriga e a politica caminham juntas!

Papa Ratzi disse...

Não vejo razões para modificar a actual lei do aborto. Permite que as pobres não abortem (com resultados positivos na luta contra o envelhecimento da população e consequente aumento da mão de obra barata para explorar) e permite que as mais afortunadas abortem (com excelentes resultados na integração europeia, uma vez que podem ir a Badajoz fazer um aborto e comprar caramelos).

Barão da Tróia II disse...

País do faz de conta.Boa semana

Kaos disse...

Tanto o expresso como o Sol desta semana já começaram a falar do casamento e da adopção homosexual. Com isto tentam ligar estes assuntos à questão do aborto. Assim quando vier o referendo já vamos ver gente a pensar que ao aprovar uma coisa está a dar o seu sim às outras. Tactica já utilizada no anterior referendo.
abraço

Cristina disse...

cá pra mim, só não o fazem com medo que a resposta seja, sim!!:))))))

concordo, isto devia ser resolvido na assembleia, mas há um medo dos tomates! (pode.se dzer?..)

beijos papalagui ;)

olha, "o melhor é não pensar em nada quando o sol brilha.."

Mendes Ferreira disse...

tu desculpa-me....mas quem é o Sócrates????

não estou nada a ver...
_______________________

beijos. cegos.

Inha disse...

O país está rico para andar a fazer referendos que podem ser resolvidos com a maioria absoluta!!!Baah

luikki disse...

ou uma outra forma de cobardia....

clotilde disse...

Somos o povo do "deixa andar" e isso reflecte-se no governo.
Pessoalmente acho que é medo da parte de Sócrates tomar essa decisão.

pintoribeiro disse...

Abraços K'mrd. Bom dia, se for.

Cucagaio disse...

A questão podia ser resolvida na AR, mas não seria correcto. Se nunca tivesse havido um referendo a questão não se colocava. Mas tendo sido realizado um referendo sobre o assunto, não é correcto que seja agora a AR legislar sobre a matéria. Quanto à questão de ser da consciência de cada um, então que não impunham desciplina de voto, ou no caso, de propaganda aos militantes partidários.

pintoribeiro disse...

Abraço, bfsemana,

Cristina disse...

Blaaaaaiiiir!! tá tu?

Eric Blair disse...

Pá, meus amigos, desculpem-me as prolongadas ausências, mas tenho estado entretido a ganhar dinheiro. Perdão – a trabalhar.

Ana [Lua] disse...

Esta estória dos referendos ao aborto já se torna aborrecida. Se já houve um referendo em que as pessoas votaram não, será que num segundo momento de reflexão vão alterar o seu voto?
(Espero que sim!)