sexta-feira, janeiro 12, 2007

O Grabiel

Fui buscar esta imagem ali, onde se critica o facto de um dos movimentos pelo não utilizar este tipo de propaganda.




















Por acaso discordo da crítica. Acho perfeitamente legítimo usar como argumento para o não, o exemplo de uma mãe que apesar de ter engravidado fora do casamento* resolveu mesmo assim, e enfrentando a retrógrada sociedade de há 2 milénios, ter o seu filho.


* ao que rezam as crónicas, o carpinteiro não terá tido nada que ver com o assunto.

18 comentários:

Kaos disse...

Também haver uma virgem a abortar já era milagre a mais para o José acreditar.
abraço e bfs

Zé Lérias disse...

Eu tenho a mania de às vezes ser mordaz, mas tu, meu amigo Eric!...

Era caso para lhes perguntar se só se preocupam com a despenalização da interrupção (forçada, muitas das vezes) da gravidez e assobiam para o lado quando vidas inocentes completamente formadas, morrem todos os dias vítimas de bombas, made in USA, e outras orígens.

Olha: Toma lá um abraço, que só me apetece...

NOTA: Obrigado pelo teu "comment" no "Terapias Inocentes". Desculpa, mas não podias ter perdido o fio à meada: "Professoras com pêlo na venta" pode ler-se a seguir, de baixo para cima...

Isabel disse...

Legitimo é, porque não?

Não creio que seja um bom argumento mas a sua legitimidade não ponho em causa.

Creio que do ponto de vista de um argumento é mau, provoca a associação do não à igreja católica.

Provoca a associação do não a uma vida que não a actual e a real.

Acredita que naõ digo isto por não ter religião , esta minha análise é méramente a análise de um cartaz e de um argumento.

Gostei de conhecer este teu espaço.

Voltarei.

Isabel

Isabel disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse...

Si puede comentar en Português tambiém...Gracías por visitar-me...
Brincadeira!!! Parabéns pelo teu espaço...Voltarei cá mais vezes!!!
Fica bem

piscoiso disse...

Desde criança, quando começaram a empurrar-me para a Igreja (em vão, diga-se de passagem), que me perguntava porque raio estava o carpinteiro no Presépio, se não era o pai da criança ?
.

Cristina disse...

este piscoiso levanta cada onda pá!! que mentes......:p

excelente amiguito!, como sempre.

beijocas

Paulo Sempre disse...

A ética e a moral já não são «pilares» de bons costumes. A religião "fatimida" também ela é/foi uma farça. E agora, sim ou não?
Bom fim de semana.
Paulo

as velas ardem ate ao fim disse...

O teu post está muito bom...não est+a maravilhoso.Adorei!os 3 f sempre presentes...Fátima neste caso...

No entanto discordo com o não no aborto.
Nenhuma mulher aborta por gosto.................
Não há aqui nenhum masoquismo, apenas um direito.Não se quer despenalizar para se igualar o IVG à contracepção.Em muito dos países em que se despenalizou e legalizou as taxas de IVG diminuiram e sabem porquê????Nesses paises existe uma politica de informação sobre contracepção e um acesso aos contraceptivos mais facilitado.

Vamos voTar no referendo, faça chuva ou sol, com a cabeça no e o coração.Vamos pensar não apenas em nós mas também nos outros, naqueles que tem menos que nós.
E principalmente vamos votar, sim ou não, porque apesar de termos um governo de MAIORIA, este é HIPOCRITA e por isso prefere um referendo a legislar, refugiando se em dar voz ao povo( não nos ouviu quanto às taxas de internamento) em vez de GOVERNAR!
Eu vou votar sim...voces votem no que quiserem.
(Dsc alguma agressividade e obrigada pelas visitas)

bjinhos

Anónimo disse...

Excelente, este blog! Parabéns!

maria disse...

Pois eu não tenho paciência nenhuminha para hipocritazinhas conversas. Claro que vou votar Sim e claro que a razão que me leva a fazê-lo, pode dizer-se, foi escrita em 1940 e levada a defesa em prova do 5ºano jurídico: "Se todo o aborto é um mal, o aborto clandestino é uma catástrofe."

Oh, Caríssimo, Eric. ... há quanto tempo aqui não vinha!!! tsctsctsc!!! Passei-me, só pode!
Este lugar é sempre - a não perder!

:)
até já, que é o mesmo que dizer, desta não me escapas mais das visitas!

Opintas / Bernardo disse...

Percebo-te. Assim será fácil o SIM ganhar. Santa estupidez. A deles, não a tua, claro.

luikki disse...

ela terá feito a sua escolha....
as "nossas" mulheres tem o direito de optar por terem, ou não um filho....

seu_misha disse...

lets go to a stoning...

Mendes Ferreira disse...

juro que não é para ser do contra....mas não vejo nada contra
no folheto.


até achei muito "in".



________________


beijo. sim.

pintoribeiro disse...

Abraços K'mrd.

Eric Blair disse...

Declaração de não-fuga:
Companheiros e camaradas, Janeiro tem sido, e tudo indica que vai continuar a ser, um mês de doidos. Até Fevereiro não terei tempo de vos visitar.
Sempre que possível atirarei com uma posta para aqui, mas será tudo.
Hasta.

Papa Ratzi disse...

Recebi o panfleto em casa há alguns dias. Meteu-me nojo, não pelo que defende mas sim como o defende.