sábado, setembro 13, 2008

Acefalia, ou de como até de merda se faz cimento.

Aproximam-se os sazonais
cenários nauseabundos,
totalmente desprovidos
da mais ínfima presença de cultura.

adenda:

21 comentários:

San disse...

não lhe chamam integração? sociologia da barbárie, não é? até custa a dizer, mas no meu tempo de campus éramos só parvos, não éramos bestas.

Maria P. disse...

Boa! Ou melhor nada boa...

:)Bom FDS*

Ana Camarra disse...

Isso é que é!
Praxes?
Por acaso, muito ilustrativo...

bjks

Eric Blair disse...

tal e qual, San. Antigamente só me sentia incomodado; agora sinto-me envergonhado.

Eric Blair disse...

Tkz, Maria; estou a fazer por isso.
Acabo de chegar de uma bela incursão pelas entranhas do maciço de Tibães.

sa disse...

caramba.. é valente! lol

Eric Blair disse...

sim, Ana, há quem lhe chame isso. Na verdade é mais um reflexo da sociedade em que vivemos. Vergonha de ser português, é o que é.
Se ao menos isto aqui fosse Galicia...

Eric Blair disse...

é o que é, Sa; with sugar on top...

PDuarte disse...

geração com 3G na faculdade. são giros.

Opinador disse...

Ainda bem que eu sou um teso do caraças.
Quando a minha "chavala" chegou ao 10º ano chamei-a à realidade e fiz-lhe o seguinte ultimato:
- Queres uma licenciatura? Pois está na hora de começares a estudar a sério e tirares nota para entrares na pública. Eu não tenho dinheiro para privadas e tu, se és estudante, não tens mais nada que fazer do que estudar. Se preferires doutro modo, é muito simples: acabas o 12º e vais trabalhar para pagares uma dessas universidades da treta.
Chegou ao fim do 12º com média para entrar no curso que queria, acabou a licenciatura e a profissionalização em 2006. Como não foi colocada, "gozou" um mês de férias a mandar currículos para tudo quanto era sítio e em Setembro conseguiu entrar, a recibos verdes, para um Centro de Formação Profissional.
Dois dias antes de começar a "bulir" comprou carro com o dinheiro dos abonos de família e mais algum que as avós lhe deram ao longo dos 23 anos de vida, e que nós fomos juntando. Actualmente, como tem trabalho de sobra como formadora (embora a recibo verde) já só concorre para horários completos e em escolas da zona de residência e emprego e já pondera "cagar-se" para a ministra da educação e deixar de concorrer.

Mas... faláva-mos de quê? De responsabilidade, se bem me lembro.
Só um remorsozinho me incomoda, nesta história: é que nunca tive "guito" para lhe pagar uma viagem de finalistas em Benidorme. Mas como sempre fizemos férias juntos (dentro das dificuldades sempre se foi arranjando "algum"…), nunca dei porque ela se sentisse traumatizada por isso.

Eric Blair disse...

Nem sei o que isso é, Pá Duarte.

Eric Blair disse...

Grande Ó Pinador! Assim sim.

Eric Blair disse...

entretanto saíram os resultados, e parece que temos as mesas do tasco todas ocupadas. A média mais baixa foi praí 14 (suspeito que escrever o nome correctamemte deve ter uma peso de 80% na média...)

Animal disse...

e é factor de exclusão não saber a tabuada do um. é cruel.

Francis disse...

Coitadinhos dos meninos, é tão bonito o convívio...

Eric Blair disse...

uma vez apareceu-me aqui um que sabia somar 1/2 com 1/3, Animal. Era um daqueles marrões espertinhos que têm a mania que sabem tudo...

Eric Blair disse...

isto hoje parece uma agência funerária, Frank. Dassss

Klatuu o embuçado disse...

Só merda, literalmente - e cúmplice e consentida.

SENSEI disse...

Pois isso das praxes, nunca fui vítima de nenhuma em 81, porque seria?!...Ah já sei!... Tinha um cabrão de um mau feitio, que me valeu quase a expulsão da faculdade ainda sem ter começado. Mas praxe!... Não me fizeram nenhuma, nem a mim nem aos meus amigos.
Isto é assim!... Os caloiros não são parvos, oh pelo menos, não deveriam sê-lo, se praxar fosse simples brincadeiras que demonstrassem alguma inteligência por parte de quem as inflige e na desportiva por parte de quem as "sofria", não haveria seguramente qualquer mal. Mas não é o que acontece, os "veteranos" da treta, armam-se em autênticas bestas xenófobas, com "brincadeiras" que mais parecem saídas de um curso de humilhação da CIA a alegados terroristas, sem qualquer demonstração de mínima inteligência. São autênticas bestas estúpidas e acéfalas, que merecem bem ficar com uns quantos dentes protésicos e uma tala de correcção do apêndice cartilagíneo nasal, por 1 mês ou mais (entendem agora a razão pela minha quase expulsão da faculdade em 81).
Mas os caloiros, não têm que aceitar tão pouco se submeter a tais degradantes actos, podem reagir, se acharem que as coisas deixaram de fazer sentido e caíram na perfeita estupidez, podem reagir, com umas valente peras onde dói mais, mas à séria, ou optarem por se deslocar à reitoria e publicamente desmascararem os foliões acéfalos.
Lembrem-se caloiros que a união faz a força, juntem-se e exijam praxes dignas, ou então nenhumas, porque a verdadeira praxe foi terem chegado onde chegaram e, ainda o caminho do sofrimento vai agora a meio.

Ouss

Eric Blair disse...

de acordo, Sensei, mas com uma pequena correcção: os caloiros são tão energúmenos como os outro; animalárias em potência, que até levam a mal se os outro não os praxam. As aulas só começam prá semana, mas às 8 da matina já eles cá estão. Rodeado de merda é o que eu estou.

SENSEI disse...

Acho que tens razão, infelizmente.