terça-feira, janeiro 29, 2008

Paradoxos

Pinto Ribeiro – o novo ministro da cultura – veio já afirmar que o controlo da RTP pelo aparelho governativo não passa de uma produção fictícia.

adenda:

.

21 comentários:

Pipinha disse...

Deve ser uma antevisão do programa "Diz que é uma espécie de televisão pública"! Besitos!

sniqper ® disse...

Olha que engraçado, eu julgava que era verdade....

seu_misha disse...

assim a que eu gosto... é malhar nos gajos.

Francis disse...

perfeitamente.

San disse...

e os rapazes das produções fictícias não se ofendem?

Eric Blair disse...

Bem observado, Pipinha. Tal e qual.

Eric Blair disse...

Que parte da afirmação, Sniqper? :)

Eric Blair disse...

gajos e gajas, Seu Misha; isto aqui é tipo pão-quente: sempre a sair.

Eric Blair disse...

um grande ferpeitamente pra ti também, companheiro.

Eric Blair disse...

Se se ofenderem, metem a viola no saco, San, para não incomodar o patrão; que é o mesmo. Tudo agora muito mais simples.

numtiquibóques disse...

1-0 para as Produções Fictícias. Nuno Artur Silva, o sócio gerente do tasco e Director criativo das Produções Fictícias colocou-se em bicos de pés para ser chamado para a Direcção da RTP. Geriu as influências com o sócio e o advogado, ambos muito bem colocados e com óptimas ligações ao PS, mas não conseguiu chegar com a cabeça fora d´água. A hipótese foi encarada, mas a verdade é que nunca foi considerado seriamente por não ter a tal coisa que qualquer tacho obriga. Consenso. Então, e já que se tinha prometido um cargo àquele sector, ficou-se pelo pelouro da Cultura para o Advogado, o que vem trazer alguma luz sobre peças que possam ser escritas e produzidas com os subsídios do estado e que no fundo trazem assinado: PF
ATENÇÃO: Isto não é necessariamente uma crítica, até porque o Sr. tem créditos firmados de óptimo advogado e CV bastante para se dar crédito e até consegue canonizar indivíduos que são apanhados com 1.6 de álcool em noite de passagem de ano. Além do mais, não será difícil fazer melhor que a Sra que lá estava, basta ficar quieto.

Eric Blair disse...

Bem, ó Numtiq, faço minhas as tuas palavras. Tal e qual.
É exactamente sobre isto que a minha posta fala.
Como é que faço para "lincar" um bitaite?

numtiquibóques disse...

Com esta podemos esquecer qualquer subsídio do ICAM ou coisa que ovalha. Se calhar teremos de trabalhar! Raios parta.

Zé do Telhado disse...

Numtiquiboques, já não há ICAM, agora é ICA. Desde que me lembro dos gajos, já foram IC, IPC, IPACA, ICAM e agora ICA, parecem um partido trotskista a mudar de nome. Deve ser para dar a ideia que existe lá alguma actividade.

Eric Blair disse...

He he, em grande Zé, em grande.
Abraçom.

numtiquibóques disse...

Caro Zé do Telhado, ICA de quê: Instituto para o Cinema de Autor?
Tem lógica que se chame ICA visto que só só dão subsídios a mamões que para deixarem de recebe-los têm de morrer. 700 mil foram agora para o Manuel de Oliveira só porque sim.

Francis disse...

ou seja, um gajo vai mamar uns canecos com quem manda e depois sai de lá já uma beca aviado e...Ica Ica...Ica... e tunga já lá mora, é isso ?

Francis disse...

ps(r) : ferpeitamente, faz-me lembrar um astérix qualquer, certo ?

Eric Blair disse...

Nã, Numtiq, deve ser ICArago pra onde foi a massa?!!

Eric Blair disse...

he he, tal e qual, Frank.

sonia r. disse...

Não por acaso vem da PT.